Manuel Cícero Peregrino da Silva na Biblioteca Nacional

engajamento aos ideais de Otlet e la Fontaine e à documentação

Palavras-chave: Biblioteca Nacional, Documentação, Instituto Internacional de Bibliografia, Manoel Cícero Peregrino da Silva, Paul Otlet

Resumo

Os belgas Paul Otlet e Henri La Fontaine, em finais do século XIX, criam o Instituto Internacional de Bibliografia que, para além de criar uma grande fonte de informação universal, foi pioneiro na adoção de novos modos de tratamento dos acervos documentais inaugurando a concepção de Documentação. Manoel Cícero Peregrino da Silva, diretor da Biblioteca Nacional brasileira entre 1900 e 1924, adotou várias mudanças na instituição, como a inauguração de um novo prédio, reorganização de seu acervo, criação de novos serviços e, em certa medida, segue a trilha aberta por Otlet e La Fontaine. Essa comunicação faz um inventário das ações de Peregrino da Silva buscando entender em que medida essas ações contribuíram para a Documentação no Brasil e seu engajamento nos ideais de Paul Otlet e La Fontaine. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, histórico-documental, baseada na documentação de diferentes arquivos brasileiros e no arquivo do Mundaneum, na Bélgica. Para compreender os ideais de Paul Otlet e Henri La Fontaine e o contexto em que eles se desenvolveram, utiliza-se os escritos do próprio Otlet e de estudiosos do tema como Mattelart, Rayward e Blanquet, além de teóricos brasileiros. Conclui que o papel de Peregrino da Silva à frente da Biblioteca Nacional fez da instituição um polo para onde confluíam as discussões intelectuais no período; que várias das ideias de Paul Otlet e Henri La Fontaine foram postas em prática na Biblioteca Nacional e que esta foi a primeira instituição a adotar as práticas documentalistas no tratamento de seu acervo e no desenvolvimento de seus produtos e serviços.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carlos Henrique Juvêncio da Silva, Universidade de Brasília

Doutor (2016) e mestre (2014) pelo Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação (PPGCINF) da Universidade de Brasília (UnB), tanto sua dissertação quanto sua tese versaram sobre a interação entre a Biblioteca Nacional brasileira, sob a égide de seu então diretor Manoel Cícero Peregrino da Silva, e o Instituto Internacional de Bibliografia, liderado por Paul Otlet e Henri La Fontaine, perfazendo um estudo sobre as origens da Documentação, enquanto disciplina, no Brasil. Possui graduação em Biblioteconomia pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO, 2008). Tem experiência na área de Ciência da Informação, com ênfase em Biblioteconomia e Documentação, atuando principalmente nos seguintes temas: colecionismo, coleções pessoais, memória, história, documentação, bibliografia, dentre outros. Entre 2014 e 2016 foi professor substituto do Curso de Biblioteconomia da Faculdade de Ciência da Informação (FCI) da Universidade de Brasília (UnB), ministrando as seguintes disciplinas: Bibliografia, Controle Bibliográfico, Editoração, História dos Livros e das Bibliotecas e Introdução à Biblioteconomia e Ciência da Informação. Durante o primeiro semestre de 2017 foi professor visitante do Curso de Ciência da Informação da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, Portugal (FLUP). Durante seis anos (2004-2010) foi funcionário da Biblioteca Nacional, trabalhando nas divisões de Manuscritos, Música e Arquivo Sonoro e Publicações Periódicas. Atualmente desenvolve projeto de pós-doutorado sob a orientação da professora Georgete Medleg Rodrigues sob o tema "O DASP e a organização da informação no Brasil: da Documentação à Ciência da Informação".

Georgete Medleg Rodrigues, Universidade de Brasília

Pós-doutorado na Université de Paris X (Département de sciences juridiques, administratives et politiques/Bibliothèque de Documentation Internationale Contemporaine -BDIC, Nanterre, França, 2008-2009). DEA (Diplôme d'études approfondies, 1992) e Doutorado (1998) em História, ambos pela Université de Paris (Paris IV- Sorbonne). Professora convidada da École Nationale des Chartes, Paris (fevereiro de 2011). Mestre em História pela Universidade de Brasília (1990). Graduada (bacharelado) em História pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP, 1982). Todas as titulações foram financiadas com bolsa do CNPq, assim como o pós-doutorado. Professora Associada I da Universidade de Brasília onde leciona no Curso de graduação em Arquivologia e no Programa de Pós-graduação em Ciência da Informação da Faculdade de Ciência da Informação. Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade de Brasília (maio 2014 - agosto 2015 ). Foi Diretora de Pós-Graduação do Decanato de Pesquisa e Pós-Graduação da Universidade de Brasília (2009 ? 2012). Coordenadora da Coordenação de Pesquisa da Faculdade de Ciência da Informação da Universidade de Brasília (2013 - maio 2014 ). Líder do Grupo de Pesquisa ?Estado, Informação e Sociedade?, criado em 2014. Foi líder do Grupo de Pesquisa "Políticas de informação do Estado e a gestão dos patrimônios documentais" (encerrado em 2014) e cadastrado no CNPq. Temas de interesse: Arquivos, Arquivologia, instituições arquivísticas e afins; Mediação cultural, comunicação e difusão de acervos; Políticas, legislação e outros dispositivos normativos e de controle da informação; Dimensões conceituais e tecnológicas do documento de arquivo; Informação e Memória.

Referências

ARQUIVO NACIONAL. Dicionário de terminologia arquivística. Rio de Janeiro, Arquivo Nacional, 2005.

BARUCH, Marc Olivier; DUCLERT, Vincent. Serviteurs de l’Etat: une histoire politique de l’administration française (1875-1945). Paris: La Découverte, 2000.

BITTENCOURT, Feijó. Vida de Manuel Cícero Peregrino da Silva. Revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, v. 229, out./dez. 1955.

BLANQUET, Marie-France. Documentalistes: leur histoire de 1900 à 2000. Mayenne: Canopé, 2014.

BRASIL. Decreto n. 8.835, de 11 de Julho de 1911. Diário Oficial da União, 16 jul. 1911.

______. Decreto nº 1.159, de 3 de Dezembro de 1892. Coleção de Leis do Brasil, v. 1, parte 2, 1892.

______. Decreto nº 1.825, de 20 de dezembro de 1907. Diário Oficial da União, 21 dez, 1907.

______. Lei nº 496, de 1º de agosto de 1898. Coleção de Leis do Brasil, vol. 4, parte 4, 1898.

BUCKLAND, Michael K. Information as thing. Journal of the American Society for information Science, v. 42, n. 5. pp. 351-360, 1991.

CARVALHO, José Murilo de. Os Bestializados: o Rio de Janeiro e a República que não foi. São Paulo: Companhia das Letras, 1987.

COSTA, Wilma Peres. Viagens e peregrinações: a trajetória de intelectuais de dois mundos. In: BASTOS, Elide Rugai; RIDENTI, Marcelo; ROLLAND, Denis. Intelectuais: sociedade e política, Brasil-França. São Paulo: Cortez, 2003.

FONSECA, Edson Nery. Origem, evolução e estado atual dos serviços de Documentação no Brasil. Revista do Serviço Público, v. 108, n. 1, p. 37-52, 1973a.

______. Bibliografia Estatística e Bibliometria: uma reivindicação de prioridades. Ciência da Informação, v. 2, n. 1, p. 5-7, 1973b.

______. Desenvolvimento da Biblioteconomia e da Bibliografia no Brasil. Revista do Livro, ano 2, n. 5, p. 95-124, 1957.

INSTITUT INTERNATIONAL DE BIBLIOGRAPHIE. Statuts. Bulletin de L’Institut International de Bibliographie, ano 1, n. 1, p. 12-14, 1895.

LE GOFF, Jacques. História e Memória. Campinas: UNICAMP, 2003.

LOPEZ YEPES, Jose (1995). La Documentacion como disciplina: teoria e historia. Pamplona: Ediciones Universidad de Navarra.

MATTELART, Armand. Histoire de l’utopie planétaire: de la cité prophétique à la societé globale. Paris : La Découverte, 2009.

Otlet, Paul. L’Office International de Bibliographie. In: LE MOUVEMENT scientifique en Belgique : 1830-1905: tomo II. Bruxelas : Société Belge de Librairie, 1908.

______. Traité de Documentation: le livre sur le livre, théorie et pratique. Bruxelas: Mundaneum, 1934.

Otlet, Paul; La Fontaine, Henri. Création d'un Répertoire Bibliographique Universel: note préliminaire. Bulletin de L’Institut International de Bibliographie, ano 1, n. 1, p. 15-38, 1895.

RAYWARD, W. Boyd. The universe of information: the work of Paul Otlet for Documentation and international organisation. Moscow, VINITI: FID, 1975.

SAMBAQUY, Lydia de Queiroz. Manuel Cícero Peregrino da Silva. Boletim Informativo do IBBD, v. 2, n. 5, p. 235-239, 1956.

SILVA, Manoel Cícero Peregrino da. A Bibliotheca Nacional em 1910. Annaes da Bibliotheca Nacional do Rio de Janeiro, v. 33, p. 367-397, 1911.

______. Carta ao secretário do Instituto Internacional de Bibliografia. Rio de Janeiro, 28 nov. 1911. (Biblioteca Nacional, Mss 69,4,010).

______. Da remodelação por que passou a Bibliotheca Nacional e vantagens d’ahi resultantes. Annaes da Bibliotheca Nacional do Rio de Janeiro, v. 35, p. 1-9, 1913.

______. Relatorio apresentado ao sr. Dr. Sabino Barroso Junior: 1901. Annaes da Bibliotheca Nacional do Rio de Janeiro, v. 24, p. 356-391, 1902a.

______. Projecto de Regulamento para a Bibliotheca Nacional do Rio de Janeiro: 1902. [Rio de Janeiro], 1902b.

______. Anotações diversas sobre a Biblioteca Nacional. [Rio de Janeiro], [s. d.]. 8 documentos. (Biblioteca Nacional, Mss I-09,33,034).

______. Ofício ao ministro da Justiça e Negócios Interiores, Augusto Tavares Lyra. Rio de Janeiro, 19 abr. 1909. (Biblioteca Nacional, Mss 69,4,010).

Publicado
2018-06-06
Como Citar
Silva, C., & Rodrigues, G. (2018). Manuel Cícero Peregrino da Silva na Biblioteca Nacional. Tendências Da Pesquisa Brasileira Em Ciência Da Informação, 10(2). Recuperado de http://ejournal.space/tpbci/index.php/tpbci/article/view/84
Seção
Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo (s) autor (es)