Fatores determinantes na percepção do uso de um sistema de informação em saúde

Palavras-chave: Sistemas de Informação em Saúde, Índice de Desenvolvimento Humano, Modelo de aceitação de tecnologia (TAM), Modelo de Ajuste Tarefa-Tecnologia (TTF)

Resumo

A partir de um estudo no âmbito do SUS no Estado de Minas Gerais, com a aplicação de um survey em todas as 3.026 Unidades Básicas de Saúde do Estado que utilizam o sistema de informação do Programa Estadual de Triagem Neonatal (PETN-MG), o presente trabalho apresenta o seguinte problema: Quais são os fatores determinantes do uso de um sistema de informação do PTN-MG e quais são as relações entre eles? Com isso, o estudo teve os seguintes objetivos: avaliar as percepções dos usuários, baseando-se na integração dos modelos de aceitação de tecnologia (TAM) e ajuste tarefa-tecnologia (TTF) com variáveis de Índice de IDHM e a capacidade de coleta das UBS; analisar os fatores determinantes do uso do SI e suas respectivas relações. O estudo contou com uma amostra de 308 respostas e, das 16 hipóteses iniciais, 6 foram confirmadas por meio de modelagem de equações estruturais. Como resultados, observa-se que o modelo TAM e o modelo TTF se completam, pois, apresentam várias relações significativas entre os seus constructos. Outro achado importante, foi a relação significativa encontrada entre o IDHM do município e a percepção de utilidade do modelo TAM. Entende-se, assim, que o estudo cumpriu com o objetivo proposto e ainda gera novas expectativas futuras como: aplicação do modelo em outras realidades e a inclusão de outros constructos sociais para verificação de possíveis relações com o modelo TAM/TTF.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jeferson Gonçalves de Oliveira, Universidade Fumec

Doutorando com linha de pesquisa em Sistemas de Informação em Saúde, Mestre em Sistemas de Informação e Gestão do Conhecimento pela Universidade FUMEC (2016), Especialista MBA em Gestão em Tecnologia da Informação pela Faculdade Pitágoras (2010) e Bacharel em Análise de Sistemas pela Universidade Salgado de Oliveira (2008). Possui sólida carreira de mais de 15 anos na área de TI e Sistemas de Informação em Saúde. Participa como estudante do Grupo de Pesquisa CNPq GEICE que atua nos temas gestão da inovação, inteligência competitiva e empreendedorismo e é coordenado pela Prof. Dra. Cristiana Fernandes De Muylder. Atualmente é Gestor de tecnologia da informação Núcleo de Ações e Pesquisa em Apoio Diagnóstico da Faculdade de Medicina da UFMG e Sócio-fundador da empresa Nettime Sistemas e Consultoria Ltda. Tem experiência nas áreas de Sistemas de Informação e Ciência da Informação.

Cristiana Fernandes de Muylder, Universidade Fumec

Bolsista de Produdividade CNPq Nível 2 (2018). Professora Titular da Universidade FUMEC - Minas Gerais - Brasil. Atua como Professora e pesquisadora do Programa de Doutorado e Mestrado em Administração - PDMA ( desde 2011). Coordenadora do PDMA de jun 2015 até mar 2107. Professora e Pesquisadora do Programa de Doutorado e Mestrado Profissional em Sistemas de Informação e Gestão do Conhecimento (desde 2012). Professora de Graduação em Administração e Ciência da Computação (2011- atual). Doutora em Economia Aplicada (UFV - 16/05/2005), Mestre em Economia Rural (UFV - 2001), Especialista em Sistemas de Informação e Planejamento estratégico (PUCMinas - 1994) e Graduação em Ciência da Computação (PUCMinas - 1992). Pesquisador Visitante na Universidade do Texas em El Paso em Jun-Jul (2015) e de Out/2016 a Jan/2017. Bolsista de produtividade Pesquisador Mineiro - FAPEMIG 2013-2015. Coordenadora de projeto CNPq/MinC/SEC N.º 80/2013. Consultora Ad Hoc CAPES (2012-atual). Líder de tema da área GCT ANPAD desde 2013 - GCT 7 Política e Gestão Estratégica de Ciência, Tecnologia e Inovação Relações governo-universidade-empresa. Coordena o Grupo de Pesquisa CNPq GEICE que atua nos temas gestão da inovação, inteligência competitiva e empreendedorismo. Interesse de pesquisa em inovação, inteligência, clusters, estratégia, competitividade e tecnologias.

Fernando Hadad Zaidan, Instituto de Educação Tecnológica

DOUTORADO em Ciência da Informação na UFMG - linha de pesquisa: Gestão da Informação e do Conhecimento, Arquitetura Corporativa e Web Semântica. MESTRADO em Administração pela FUMEC - pesquisas na fronteira de Sistemas de Informação, Gestão do Conhecimento e Administração Estratégica. BACHARELADO em Ciência da Computação pela FUMEC. FORMAÇÃO SUPERIOR específica em Gestão e Desenvolvimento de Sistemas Web - XML pelo UNI-BH. ANALISTA DE SISTEMAS e programador de computadores pela UFMG. Sólida carreira de mais de 30 anos na área de TI e Sistemas de Informação, com ênfase em Gestão de TI, Gestão da Informação e do Conhecimento, Planejamento Estratégico, Governança de TI, Gerenciamento de Projetos, Gerenciamento de Processos de Negócios (BPM), Business Intelligence (BI) e Engenharia de Software. Atuou na FUMSOFT com a empresa Consultoria Corporativa, como consultor dos projetos captados pelo SEBRAE, na área de inovação tecnológica (SEBRATEC). Dedica-se, além da educação em Pós-Graduação Stictu Sensu (Mestrado em Engenharia e Gestão de Processos e Sistemas do IETEC), à elaboração e coordenação de cursos Lato Sensu, assim como a edução em Pós graduação Lato Sensu. Experiência em projetos de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D). Palestrante em eventos nacionais e internacionais. Organiza eventos de TI (workshops e seminários). Possui livros, capítulos de livros e artigos científicos aprovados em diversos congressos nacionais e internacionais e escreve regularmente para Blogs em importantes Portais de TI.

José Nelio Januário, Universidade Federal de Minas Gerais

Graduado em Medicina pela Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG (1977). Possui mestrado e doutorado em Ciências da Saúde pela UFMG . Atualmente é professor do departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina da UFMG, Diretor Geral do Núcleo de Ações e Pesquisa em Apoio Diagnóstico da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG ? Nupad/FM/UFMG e coordenador do Centro de Educação e Apoio para Hemoglobinopatias de Minas Gerais ? CEHMOB-MG. É médico da Secretaria de Estado da Saúde de Minas Gerais, cooperado da Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa, pesquisador da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo - FAPESP, pesquisador da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais - FAPEMIG . Tem experiência na área de Medicina, com ênfase em Clínica Médica, atuando principalmente nos seguintes temas: triagem neonatal, anemia falciforme, hipotireoidismo congênito, fenilcetonúria, fibrose cística, dentre outros.

Referências

BERNSTEIN, I. H.; NUNNALLY, J. Psychometric theory. New York: McGraw-Hill, 1994.

BOBSIN, D. et al. O uso dos Sistemas de Informações e as diferenças entre os Níveis Hierárquicos: uma aplicação do Modelo TAM-TTF. Informação & Sociedade: Estudos, João Pessoa, v. 20, n. 3, set./dez. 2010.

BRASIL. Manual para a organização da atenção básica. Brasília: Ministério da Saúde; 1998.

BRASIL, P.N.U.D. O índice de desenvolvimento humano municipal brasileiro. Brasília; 2013.

BUKOWITZ, Wendi R.; WILLIAMS, Ruth L. Manual de Gestão do Conhecimento. Porto Alegre: Bookman, 2004.

DAVIS, F. D. A technology acceptance model for empirically testing new end-user information systems: Theory and results. 1985. 291 f. Tese (Doutorado) – School Of Management, Massachusetts Institute of Technology, 1985.

DAVIS, F. D.; BAGOZZI, R. P.; WARSHAW, P. R. User acceptance of computer technology: a comparison of two theoretical models. Management science, v. 35, n. 8, p. 82-1003, Ago. 1989.

DAVIS, F. D.; VENKATESH, V. A critical assessment of potential measurement biases in the technology acceptance model: three experiments. International Journal of Human-Computer Studies, v. 45, n. 1, p. 19-45, 1996.

DE FÁTIMA MARIN, H. Sistemas de informação em saúde: considerações gerais. Journal of Health Informatics, São Paulo, v. 2, n. 1, jan./mar. 2010.

DISHAW, M. T.; STRONG, D. M. Extending the technology acceptance model with tasktechnology fit constructs. Information and Management, 36, p. 9-21, [s. n.] 1999.

EFRON, B.; TIBSHIRANI, R. J. An Introduction to the Bootstrap. Chapman & Hall, 1993.

ESCOREL, S. et al. O Programa de Saúde da Família e a construção de um novo modelo para a atenção básica no Brasil. Rev. Panam. Salud. Publica, Washington D.C., v. 21, n. 2, p. 164-176, [s. n.] 2007.

ESPANHA, R. Informação e Saúde. Director, Lisboa, jan. 2013.

FORNELL, C. E; LARCKER, D. F. Evaluating structural equation models with unobservable variables and measurement error. Journal of marketing research, p. 39-50, 1981.

GOODHUE, D. L. Understanding user evaluations of information systems. Management Science, v. 41, n. 12, p. 1827-1844, Dec. 1995.

GOODHUE, D. L.; THOMPSON, Ronald L. Task-technology and individual performance. MIS Quarterly, v. 19, n. 2, p. 213-236, Jun. 1995.

HAIR, J. F. et al. Análise multivariada de dados. Porto Alegre. Bookman, 2009.

HENSELER, J.; RINGLE, C. M.; SINKOVICS, R. R. The use of partial least squares path modeling in international marketing. Advances in international marketing, v. 20, n. 1, p. 277-319, 2009.

HOLLANDER, M.; WOLFE, D. A. Nonparametric Statistical Methods. New York: John Wiley & Sons, 1999.

KAISER, H. F. The varimax criterion for analytic rotation in factor analysis. Psychometrika, v. 23, n. 3, p. 187-200, 1958.

KLOPPING, I. M.; MCKINNEY, E. Extending the technology acceptance model and the task-technology fit model to consumer e-commerce. Information technology learning and performance journal, v. 22, p. 35-48, 2004.

LEGRIS, P.; INGHAM, J.; COLLERETTE, P. Why do people use information technology? A critical review of the technology acceptance model. Information & management, v. 40, n. 3, p. 191-204, 2003.

MINGOTI, S. A. Análise de Dados Através de Métodos de Estatística Multivariada: Uma Abordagem Aplicada. Belo Horizonte: UFMG, 2007.

MONECKE, A.; LEISH, F. semPLS: Structural Equation Modeling Using Partial Least Squares. Journal of Statistical Software, 2012.

NEMENYI, Peter. Distribution-free multiple comparisons. Biometrics. v. 18, n. 2, p. 263, 1962.

Nupad. Disponível em <http://www.nupad.medicina.ufmg.br > Acesso em 01 abr. 2016.

TENENHAUS, Michel et al. PLS path modeling. Computational statistics & data analysis, v. 48, n. 1, p. 159-205, 2005.

VENKATESH V., MORRIS M. G. Why do not men ever stop to ask for directions? Gender, social influence and their role in technology acceptance and usage behavior. MIS Quarterly, v. 24, n .1, p. 115-119, 2000.

VINZI, Vincenzo Esposito; TRINCHERA, L.; AMATO, S. PLS Path Modeling: From Foundations to. Proceedings of the 20th SAS User Group International Confr, 1995chapter, v. 2, 2010.recent developments and open issues for model assessment and improvement (pp. 47-82). Springer Berlin Heidelberg.

Publicado
2018-06-06
Como Citar
Oliveira, J., Muylder, C., Zaidan, F., & Januário, J. (2018). Fatores determinantes na percepção do uso de um sistema de informação em saúde. Tendências Da Pesquisa Brasileira Em Ciência Da Informação, 10(2). Recuperado de http://ejournal.space/tpbci/index.php/tpbci/article/view/90
Seção
Artigos