Taxonomia dos tipos de relações semânticas para a organização e a representação do conhecimento

uma proposta a partir da literatura

Palavras-chave: Relações Semânticas, Organização do Conhecimento, Representação do Conhecimento, Taxonomia de Relações Semânticas

Resumo

As relações semânticas são fundamentais para a compreensão de representações da realidade que envolvem estruturas conceituais. Ao determinar as relações semânticas entre os conceitos nessas representações, o usuário da informação assimila o propósito da associação entre os conceitos no contexto que lhe é apresentado. Com isso, evita-se a interpretação equivocada da informação apresentada, pois o usuário compreende o que o classificionista pretendeu transmitir. Na literatura pesquisada, constataram-se algumas classificações das relações semânticas na Organização e na Representação do Conhecimento sob o ponto de vista de diferentes autores da Biblioteconomia e Ciência da Informação, o que resultou em classificações, por vezes, sem consonância umas com as outras. Neste sentido, percebeu-se a necessidade de compilar os tipos de relações semânticas encontradas, de maneira a criar uma única taxonomia. Para isso, a perspectiva de cada autor foi levada em consideração, para captar os motivos de suas decisões de classificação. Ao final, a taxonomia compilada representa as escolhas feitas a partir das diferentes concepções. Espera-se que este artigo possa contribuir com os estudos acerca das relações semânticas na Organização e na Representação do Conhecimento, no cenário do idioma português, pois não foram encontradas, nesta revisão de literatura, classificações de tipos de relações semânticas em português nesse contexto.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lucinéia Souza Maia, Universidade Federal de Minhas Gerais

Possui graduação em Computação - Sistemas de Informação pelo Centro Universitário do Leste de Minas Gerais (2006) e mestrado em Ciência da Computação pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (2010). Atualmente é doutoranda em Gestão e Organização do Conhecimento na Universidade Federal de Minas Gerais. É professora assistente da Universidade Federal de Ouro Preto. Tem experiência na área de Ciência da Computação, com ênfase em Sistemas de Informação, atuando principalmente nos seguintes temas: acessibilidade web, desenvolvimento web, governo eletrônico, engenharia web, ISO 12207 e relações semânticas para a representação do conhecimento.

Gercina Ângela de Lima, Universidade Federal de Minhas Gerais

Pós-doutora em Estudos sobre metodologias para o processo de indexação de documentos textuais, pelo Departamento de Biblioteconomia y Documentación, Faculdad de Humanidades, Comunicación y Documentación, Universidad Carlos III, Madrid, Espanha (, e pela Escola de Artes e Comunicação da USP. Doutora em Ciência da Informação pelo Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação PPGCI-ECI/UFMG. Mestre em Science in Library Service - Clark Atlanta University. Bibliotecária pela Escola de Biblioteconomia da UFMG. Professora Associada no Departamento de Organização e Tratamento da Informação, na ECI/UFMG. Bolsista de Produtividade (PQ) do CNPq, Nível 2. Pesquisadora no Programa de Pós-Graduação em Gestão & Organização do Conhecimento-PPGGOC/ECI/UFMG. Coordenadora do Grupo de Pesquisa MHTX - Modelagem Conceitual para Organização e Representação da Informação Hipertextual, registrado no CNPq desde 2004. Coordenadora do Grupo de Trabalho Organização e Representação do Conhecimento- GT 2 da ANCIB. Pesquisadora integrante do Grupo de Pesquisa RECRI (ECI/UFMG) e do Grupo de Pesquisa Estudos Ônticos e Ontológicos em Contextos Informacionais (UFF). Sub-Coordenadora do Curso Gestão e Arquitetura da Informação (GAI) do NITEG/ECI. Coordenou o PPGCI/UFMG de agosto/2009 a setembro de 2012. Atualmente é Membro da International Society for Knowledge Organization (ISKO) ISKO Scientific Advisory Board (2016-); membro do Comitê de Ciências Sociais Aplicadas, PRPQ/UFMG; membro da Congregação da ECI/UFMG; membro do Colegiado de Biblioteconomia da UFMG; membro do Núcleo Docente Estruturante (NDE) do curso de Graduação em Biblioteconomia da ECI/UFMG; e membro do Colegiado do Programa de Pós-Graduação em Gestão & Organização do Conhecimento?PPGGOC/ECI/UFMG. Tem experiência na área de Ciência da Informação, com ênfase em Organização e Representação da Informação e do conhecimento, atuando principalmente nos seguintes temas: Teorias e técnicas para Representação, Organização e Recuperação da informação e do Conhecimento. Sistema de Organização do Conhecimento (SOC)/Vocabulários Controlados. Compatibilização de linguagens de Indexação. Linguística Documentária. Mapa Conceitual. Bibliotecas digitais. Web Semântica (modelos, padrões, protocolos e linguagens).Linked Open Data. Produção de hipertextos. Interfaces Indutivas. Topic Maps (Mapa de Tópicos). Arquitetura da Informação. Automação de bibliotecas (projeto e avaliações de software). Cognição e sua aplicação na Organização e Representação da Informação e do Conhecimento, e nos processos de Recuperação da Informação.

Benildes Coura Moreira dos Santos Maculan, Universidade Federal de Minhas Gerais

Doutora e Mestre em Ciência da Informação pelo Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação, na Escola de Ciência da Informação (ECI) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), e forma em Bibliotecária pela mesma Universidade. Atualmente, Professora Adjunto no Departamento de Organização e Tratamento da Informação, na ECI/UFMG. Pesquisadora no Grupo de Pesquisa MHTX - Modelagem Conceitual para Organização Hipertextual de Documentos e no Grupo de Pesquisa RECRI - Representação do Conhecimento e Recuperação da Informação e no Programa de Pós-Graduação em Gestão & Organização do Conhecimento (PPGGOC/ECI/UFMG). Interesses na linha de Arquitetura e Organização do Conhecimento, com ênfase em questões teóricas e metodológicas de desenvolvimento de Sistemas de Organização do Conhecimento (sistemas de classificação, taxonomias, tesauros e redes semânticas) e linguagens de indexação; modelagens e arquiteturas conceituais (atores e cenários); processos de indexação; comportamento informacional; recuperação da informação: acesso físico do documento e acesso ao seu conteúdo informacional (em bibliotecas tradicionais, digitais, hipertextos e arquivos), em distintos contextos de uso; representação de dados linkados (Linked Data), integração de dados, compatibilidade de linguagens e semântica; aportes interdisciplinares fundamentais (Estatística, Tecnologia da Informação e Comunicação, Computação, Engenharia de Software, Lógica, Linguística, Terminologia, Semântica, Comunicação, entre outros).

Referências

AZEREDO, J. C. Fundamentos de Gramática do Português. Rio de Janeiro: Editora Zahar, 2000. 283p.

BEGHTOL, C. Relationships in classificatory structure and meaning. In: BEAN, A; GREEN, R. (Orgs.). Relationships in the Organization of Knowledge. Boston/Dordrecht/London: Kluwer Academic Publishers, 2001. v. 2. p. 99-113.

BROUGHTON, V. et al. Knowledge Organization. In: KAJBERG, L.; LØRRING, l. (Org.). European Curriculum Reflections on Library and Information Science Education. Copenhagen: Royal School of Library and Information Science, 2005. 241p. p. 133-148.

BUENO, S. Dicionário Global Escolar Silveira Bueno da Língua Portuguesa. 4. ed. São Paulo: Global Editora e Distribuidora Ltda, 2017. 800p. Disponível em: <https://books.google.com.br/books?id=EmgkDwAAQBAJ&hl=pt-BR&source=gbs_navlinks_s>. Acesso em: 16 abr. 2016.

CHAFFIN, R.; HERRMANN, D. J. The similarity and diversity of semantic relations. Memory & Cognition, v. 12, n. 2, p. 134-141, 1984. Disponível em: <http://link.springer.com/article/10.3758/BF03198427>. Acesso em: 20 out. 2016.

CRUSE, D. A. Hyponymy and its varieties. In: GREEN, R.; BEAN, C.A.; MYAENG, S. H (Orgs.). The Semantics of Relationships: An Interdisciplinary Perspective. 1 ed. v. 3. [S.l.]: Springer-Science+Business Media, B.V, 2002. v. 3. p. 3–22.

DAHLBERG, I. Teoria do conceito. Ciência da Informação, Brasília, v. 7, n. 2, 30 dez. 1978a. Disponível em: <http://revista.ibict.br/index.php/ciinf/article/view/1680> . Acesso em: 18 set. 2015.

DAHLBERG, I. A referent-oriented, analytical concept theory of Interconcept. International Classification, v. 5, n. 3, p. 122-151, 1978b.

DAHLBERG, I. Fundamentos teórico-conceituais da classificação. Revista de Biblioteconomia de Brasília, Brasília, v. 6, n. 1, p. 9-21, jan./jun. 1978c.

GERSTL, P.; PRIBBENOW, S. A conceptual theory of part-whole relations and its applications. Data & Knowledge Engineering, v. 20, n. 3, p. 305-322, 1996. Disponível em: <http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0169023X96000146>. Acesso em: 13 dez. 2016.

GREEN, R. Relationships in the organization of knowledge: an overview. In: BEAN, A; GREEN, R. (Orgs.). Relationships in the Organization of Knowledge. Boston/Dordrecht/London: Kluwer Academic Publishers, 2001. v. 2. p. 3-18.

HJØRLAND, B. Semantics and knowledge organization. Annual Review of Information Science and Technology, v. 41, n. 1, p. 367-405, 2007. Disponível em: <http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1002/aris.2007.1440410115/full>. Acesso em: 27 out. 2016.

ISO 25964-1. ISO 25964-1: Information and documentation, thesauri and interoperability with other vocabularies, Part 1: Thesauri for information retrieval. Genève: International Standart. , 2011

KHOO, C. S.; NA, J.-C. Semantic relations in information science. Annual Review of Information Science and Technology, v. 40, p. 157, 2006. Disponível em: <https://dr.ntu.edu.sg/bitstream/handle/10220/18367/1440400112_ftp_acc.pdf?sequence=3>. Acesso em: 25 out. 2016.

KUCZORA, P. W.; COSBY, S. J. Implementation of meronymic (part-whole) inheritance for semantic networks. Knowledge-Based Systems, v. 2, n. 4, p. 219-227, 1989. Disponível em: <http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/095070518990066X>. Acesso em: 1 dez. 2016.

MACULAN, B. C. M. DOS S. Estudo e aplicação de metodologia para reengenharia de tesauro: remodelagem do THESAGRO. 2015. 343f. Tese (Doutorado em Ciência da Informação), Escola de Ciência da Informação, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2015.

MURPHY, M. L. Semantic Relations and the Lexicon: Antonymy, Synonymy and other Paradigms. Cambridge, Reino Unido: Cambridge University Press, 2003. 292p.

PETERS, I. P.; WELLER, K. Paradigmatic and syntagmatic relations in knowledge organization systems. Information - Wissenschaft und Praxis, v. 59(1), p. 100-107, 2008. Disponível em: <http://www.phil.hhu.de/fileadmin/Redaktion/Institute/Informationswissenschaft/peters/1204547334paradigmat.pdf>. Acesso em: 31 out. 2016.

SELIGMANN-SILVA, M. Leituras de Walter Benjamin. Pinheiros, SP: Annablume, 2007. 241p.

STOCK, W. G. Concepts and semantic relations in information science. Journal of the American Society for Information Science and Technology, v. 61, n. 10, p. 1951-1969, 2010. Disponível em: <http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1002/asi.21382/full>. Acesso em: 27 out. 2016.

STOREY, V. C. Understanding semantic relationships. The VLDB Journal, v. 2, n. 4, p. 455-488, 1993. Disponível em: <http://link.springer.com/article/10.1007/BF01263048>. Acesso em: 24 out. 2016.

SVENONIUS, E. The intellectual foundation of information organization. Cambridge, MA: MIT Press, 2000. Disponível em: <https://books.google.com.br/books?hl=en&lr=lang_en|lang_pt|lang_es&id=r0iBW7fygu8C&oi=fnd&pg=PR3&dq=The+intellectual+foundations+of+information+organization&ots=QP7vFeermU&sig=55IiwTSCQ5T8f1MtEW8e_lhf050>. Acesso em: 15 jul. 2017.

TRISTÃO, A. M. D.; FACHIN, G. R. B.; ALARCON, O. E. Sistema de classificação facetada e tesauros: instrumentos para organização do conhecimento. Ciência da Informação, Brasília, v. 33, n. 2, p. 161-171, ago. 2004.

VICKERY, B. C. Thesaurus-A new word in documentation. Journal of documentation, v. 16, n. 4, p. 181–189, 1960.

WELLER, K.; STOCK, W. G. Transitive Meronymy. Information - Wissenschaft und Praxis, v. 59, n. 3, p. 165-170, 2008. Disponível em: <http://citeseerx.ist.psu.edu/viewdoc/download?doi=10.1.1.218.9555&rep=rep1&type=pdf>. Acesso em: 12 dez. 2016.

WINSTON, M. E.; CHAFFIN, R.; HERRMANN, D. A taxonomy of part-whole relations. Cognitive Science, v. 11, n. 4, p. 417-444, 1987. Disponível em: <http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1207/s15516709cog1104_2/abstract>. Acesso em: 12 dez. 2016.

ZENG, M. L. Knowledge organization systems (KOS). Knowledge Organization, v. 35, n. 2-3, p. 160-182, 2008. Disponível em: <http://cat.inist.fr/?aModele=afficheN&cpsidt=20613691>. Acesso em: 15 set. 2015.

Publicado
2018-06-06
Como Citar
Maia, L., Lima, G., & Maculan, B. (2018). Taxonomia dos tipos de relações semânticas para a organização e a representação do conhecimento. Tendências Da Pesquisa Brasileira Em Ciência Da Informação, 10(2). Recuperado de http://ejournal.space/tpbci/index.php/tpbci/article/view/91
Seção
Artigos