As abordagens da análise de domínio como aporte metodológico para a classificação arquivística

  • Lidiane Marques Freitas Universidade Estadual de Londrina
  • Ana Cristina de Albuquerque Universidade Estadual de Londrina
Palavras-chave: Classificação Arquivística, Plano de Classificação Arquivística de Documentos, Análise de Domínio

Resumo

A Classificação Arquivística é uma atividade de organização do conhecimento que visa a realização de um conjunto de operações técnicas para organizar conceitos, de um determinado domínio, em categorias de fácil entendimento para facilitar a distribuição de documentos e sua futura recuperação. A Análise de Domínio é uma abordagem voltada a compreender as informações por meio das comunidades discursivas. Nesse sentido, o presente estudo tem como objetivo suscitar uma reflexão teórica a respeito da contribuição da Análise de Domínio para a Classificação Arquivística, pois na elaboração de sistemas de classificação, a Análise de Domínio possibilita o auxílio no levantamento de conceitos que constituem um determinado domínio específico. Trata-se de uma pesquisa exploratória que descreve, por meio de uma revisão bibliográfica, o conceito de Classificação Arquivística. A discussão perpassa pelo conceito de classificação, a origem e delimitação do termo de classificação arquivística, os vastos entendimentos sobre o conceito e a distinção entre o processo de classificação arquivística e o resultado desse processo, que é o seu instrumento teórico metodológico: o plano de classificação arquivística de documentos. Pode-se observar que a análise de domínio como aporte metodológico para a classificação arquivística tem a função de auxiliar na compreensão da comunidade discursiva e assim contribuir para revelar os termos e conceitos que refletem o contexto do organismo produtor de documentos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lidiane Marques Freitas, Universidade Estadual de Londrina

Possui graduação em Arquivologia pela Universidade Estadual de Londrina (2007). Especialização em Metologia do Ensino Superior (2009) e MBA em Gestão Pública pela Universidade Norte do Paraná (2014), Especialização em Gestão de Arquivos e Tecnologias Aplicadas (2015) e Mestrado em Ciência da Informação pela Universidade Estadual de Londrina (2017). Atualmente é arquivista da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária e possui experiência na área de Ciência da Informação, com ênfase em Arquivologia, atuando principalmente nos seguintes temas: gestão de documentos, informação arquivística, planejamento estratégico e instrumentos de gestão arquivística: plano de classificação e tabela de temporalidade documental.

Ana Cristina de Albuquerque, Universidade Estadual de Londrina

Possui graduação em Biblioteconomia (2003), Mestrado em Ciência da Informação (2006) e Doutorado em Ciência da Informação (2012) pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP). Tem experiência na área de Ciência da Informação, Biblioteconomia, Arquivologia e Museologia com ênfase em Organização da Informação e do Conhecimento. Atualmente é Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade Estadual de Londrina (UEL), assim como ministra aulas nos cursos de graduação em Arquivologia e Biblioteconomia da mesma Universidade atuando nas seguintes áreas: Representação Temática da Informação, Teoria da Classificação na Arquivologia, Biblioteconomia e Museologia, Organização e Representação de Recursos Imagéticos, Fundamentos da Ciência da Informação.

Referências

ALBUQUERQUE, A. C. de. A Classificação de documentos fotográficos: um estudo em arquivos, bibliotecas e museus. 2012. Tese (Doutorado em Ciência da Informação) – Universidade Estadual Paulista, Marília, 2012.

AMORIM, I. S.; CAFÉ, L. M. A. Os conceitos de comunidade discursiva, domínio e linguagem na análise de domínio Hjorlandiana. XVII ENANCIB: Descobrimentos da Ciência da Informação: Desafios da Multi, Inter e Transdisciplinaridade. Disponível em: < file:///C:/Users/lidiane.freitas/Downloads/3580-11884-1-PB.pdf>. Acesso em: 13 dez. 2016.

ARQUIVO NACIONAL (Brasil). Dicionário de Terminologia Arquivística. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2005.

______. Diccionario de Organización del Conocimiento: Classificación, indización, Terminología – Mario Barité y equipo. 5ª ed. Montevideo: PRODIC, 2013.

CAMARGO, A. M. de A.; BELLOTTO, H. L. (Coord.). Dicionário de terminologia arquivística. São Paulo: Associação dos Arquivistas Brasileiros – Núcleo regional de São Paulo: Secretaria de Estado da Cultura, 1996.

_____. Teoria do conceito. Ciência da Informação, Rio de Janeiro, v. 7, n. 2, p. 101-107, 1978. Disponível em: <http://revista.ibict.br/ciinf/index.php/ciinf/issue/view/87/showToc>. Acesso em: 14 abr. 2015.

DIAS, C. C. A análise de domínio, as comunidades discursivas, a garantia de literatura e outras garantias. Informação & Sociedade: estudos, v. 25, n. 2, p. 6-17, 2015.

GUIMARÃES, J.A.C. ; PINHO, F. A. ; FERREIRA, G. M. . Relações teóricas da organização do conhecimento com as abordagens de catalogação de assunto, indexação e análise documental. Scire (Zaragoza), v. 18, p. 33-43, 2012.

HJØRLAND, B. Domain analysis in information Science. Eleven approaches – traditional as well as innovative. Journal of Documentation, v.58, n.4, 422-462, 2002. Disponível em: <http://dx.doi.org.ez78.periodicos.capes.gov.br/10.1108/00220410210431136>. Acesso em 22 jun. 2016.

________. Domain analysis: a socio-cognitive orientation for Information Science research. Bulletin of the American Society for Information Science and Technology, fev./mar. 2004.

HJØRLAND, B.; ALBRECHTSEN, H. Toward a new horizon in Information Science: domain-analysis. Journal of the American Society for Information Science, v.46, n.6, p.400-425, Jul. 1995.

LOPES, L. C. A informação e os arquivos: teorias e práticas. Niterói: EDUFF; São Carlos: EDUFSCAR, 1996.

PEÑA, C. N. Indización y clasificación: un problema conceptual y terminológico. In: Documentación de las Ciencias de la Información, V. 26, 2003, p. 23-40.

PIEDADE, M. A. Requião. Introdução à teoria da classificação. 2.ed. Rio de Janeiro: Interciência, 1983. 221p.

SCHELLENBERG, T.R. Arquivos modernos: princípios e técnicas. 6.ed. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2006.

RODRIGUES, Ana Célia. Tipologia documental como parâmetro para a gestão de documentos de arquivos: um manual para o Município de Campo Belo, MG. São Paulo: Universidade de São Paulo, 2003. (Dissertação de Mestrado). Disponível em: <http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8138/tde-25042003-181526/pt-br.php>. Acesso em: 28 fev. 2017.

______. Diplomática contemporânea como fundamento metodológico para a identificação de documento de arquivo. São Paulo: Universidade de 106 São Paulo, 2008. (Tese de doutorado). Disponível em: . Acesso em: 28 fev. 2017.

SCHIESSL, M; SHINTAKU, M. Sistemas de organização do conhecimento. In: ALVARES, L. (Org.). Organização da informação e do conhecimento: conceitos, subsídios interdisciplinares e aplicações. São Paulo: B4 Editores, 2012. 248p. Capítulo 2, p. 49/118.

SIMÕES, M. G; FREITAS, M.C.V. A classificação em arquivos e em bibliotecas à luz da teoria da classificação: pontos de convergência e de divergência. Ponto de Acesso, Salvador, V.7, n.1 ,p. 81-115, abr 2013. Disponível em: <https://portalseer.ufba.br/index.php/revistaici/article/view/8050>. Acesso em: 17 set. 2015.

SOUSA, R. T. B. A Classificação como função matricial do que-fazer arquivístico. In: SOUSA, R. T. B. de. A classificação como função matricial do que fazer arquivístico. In: SANTOS, V. B. dos; INNARELLI, H. C.; SOUSA R. T. (Orgs.). Arquivística: temas contemporâneos: classificação, preservação digital, gestão do conhecimento. 38 ed: Distrito Federal: SENAC, 2012.

SOUSA, R. T. B. de. As bases do processo classificatório na arquivística: um debate metodológico. São Paulo: Associação de Arquivistas de São Paulo, 2002.

SOUZA, A. do P. O documento fotográfico na organização do conhecimento: o processo de transcodificação na classificação arquivística. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) - Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2015.

SUENAGA, C. M. K. A abordagem da análise de domínio na organização e representação do conhecimento em arquivística. 2014. 150f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) – Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação, Centro de Educação Comunicação e Artes, Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2014.

SWALES, J. M. The concept of discourse community. In: Genre analysis. Cambridge: Cambridge University Press, 1990. P. 21-32.

TENNIS, J. T. Com o que uma análise de domínio se parece no tocante a sua forma, função e gênero? BJIS, Marília (SP), v. 6, n. 1, p.3-15, jan./jun. 2012. Disponível em: <http://www2.marilia.unesp.br/revistas/index.php/bjis/index>. Acesso em 14 jan. 2017.

Publicado
2018-06-06
Como Citar
Freitas, L., & Albuquerque, A. (2018). As abordagens da análise de domínio como aporte metodológico para a classificação arquivística. Tendências Da Pesquisa Brasileira Em Ciência Da Informação, 10(2). Recuperado de http://ejournal.space/tpbci/index.php/tpbci/article/view/97
Seção
Artigos